Desafio Brasil de Adestramento contou com ótima participação no Brasília Country Club

28/09/2021 as 05:33
No último dia de semana, o Brasília Country Club recebeu cavaleiros e amazonas para a prova e clínica do Desafio Brasil 2021 de Adestramento. No sábado, 25/9, os 40 conjuntos participantes da edição da disputa enfrentaram chuva na capital federal, mas foram firmes em busca de boas médias.


No domingo, 26/9, os conjuntos que classificaram receberam a clínica com a juíza internacional e amazona pan-americana Sandra Smith, que comentou sobre o evento: "Gosto muito de julgar em Brasília. As provas são sempre muito bem organizadas e os cavaleiros sempre muito empenhados, com muita vontade de aprender e evoluir. Nesses anos que vim julgar o Desafio Brasil tive a oportunidade de acompanhar de perto a evolução de vários conjuntos e também o crescimento da modalidade no estado. Não só o nível da Equitação evoluiu, mas também a qualidade dos cavalos. Além disso, vi crianças montando bem e cavaleiros muito aplicados. É o caminho certo para bons resultados".

 

A edição 2021 do Desafio Brasil de Adestramento contou com ótimo número de participantes e mostrou o crescimento da modalidade no DF


Um dos jovens cavaleiros é Dimitri Drummond Vivan, da categoria Mirim, que classificou para participação na clínica. “O Desafio Brasil de 2021 foi excelente! Com grande participação, um ambiente de cooperação e troca de conhecimento. O dia da clínica foi sem dúvida de muito aprendizado. Recebi dicas valiosas para sempre melhorar minha equitação. Achei tudo muito bom, eu e a Faceira aproveitamos muito!!”, comentou Dimitri.


Dimitri 
Drummond Vivan e Faceira da Raposa durante sua reprise no Desafio Brasil 2021

 

Em dia de estreia na prova Prix St. George, a amazona Ana Luisa Fernandes acredita que o Desafio Brasil é uma ótima oportunidade, que deveria ser mais reconhecida pelos cavaleiros: "Eu acho que a ideia do Desafio Brasil é bem legal porque todos os atletas conseguem ser julgados por juízes a nível nacional, sem ter que viajar para longe. Mas eu acredito que as pessoas ainda têm que pensar na grande oportunidade que é ter uma disputa dessa em casa, deveriam dar mais credibilidade ao evento todo".

 


Ana Luisa Fernandes e Vulcano em estreia na prova Prix St. George 


Além de proporcionar o aumento do número de conjuntos na modalidade e a maior participação em clínicas de Adestramento, o projeto vem agradando aos praticantes também por dar direito a feedback e orientações relevantes para o aperfeiçoamento dos conjuntos. Outro diferencial é a oportunidade que oferece aos juízes, que vivenciam a experiência de viajar e julgar novos conjuntos, mantendo sua atividade no quadro, além de permitir que novos juízes estaduais tenham a oportunidade de acompanhar as provas e os julgamentos em conjunto com os juízes da CBH.

 

Durante o evento, o cavaleiro paralímpico representante da FHBr que foi top 10 nas Paralimpíadas de Tóquio 2020, Sérgio Oliva, recebeu uma homenagem feita pela
Confederação Brasileira de Hipismo, Federação Hípica de Brasília e o Brasília Country Club. Na foto, a Diretora de Adestramento da CBH, Marcela Parsons, o presidente da Federação Hípica de Brasília, Almir Lustosa Vieira, o cavaleiro Sérgio e o presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Andrew Parsons, registram o momento

 


Dentre os integrantes do quadro de juízes da prova de Brasília estava Bruno Muniz, que comentou ser "notório o efeito incentivador que o Desafio Brasil de Adestramento vem exercendo na disciplina aqui no DF, tanto pelo aspecto quantitativo quanto qualitativo. Também é muito gratificante ver o interesse de cavaleiros e instrutores em participar da clínica do segundo dia: eles querem não apenas desenvolver a pontuação de suas reprises, como trazem dúvidas sobre regulamento e treino de cavalos e/ou alunos. Só tenho a agradecer e parabenizar pela intensa dedicação da Diretora de Adestramento da FHBr, Rafaela Orlandini, bem como o trabalho e incentivo da Ex-Diretora de Adestramento da CBH, Sandra Smith. A semente do Adestramento aqui em Brasília a cada ano cresce e amadurece mais, em breve teremos excelentes frutos!"

 

Mesa de premiação da etapa de Brasília do Desafio Brasil 2021


Também sobre a organização das provas em Brasília, Sandra Smith comentou que o sistema Gira tem relevância: "Outro destaque é o uso do sistema de julgamento sem papel oferecido pela CBH e utilizado pela FHBr. Realmente o sistema é muito eficiente e mostra que Brasília está acompanhando a evolução do esporte, oferecendo esse sistema para os juízes e os atletas".

Clique aqui e confira todos os resultados da prova.